7º Encontro Arranjo Produtivo Local em Audiovisual

Este encontro que acontece anualmente é um importante momento de articulação das diversas células atuantes nos diversos elos da cadeia produtiva de audiovisual na região. Um momento estratégico para a produção de conteúdo audiovisual feito na mata norte de Pernambuco, como para projetos de difusão, pesquisa, cineclubes e outros. Um espaço aglutinador de boas idéias e potente instrumento da consolidação do APL do audiovisual nesta região do interior de Pernambuco.

Programação Completa

CIDADE
DATAS
HORÁRIO
ATIVIDADES
LOCAL
Goiana 13 de JAN 09h às 12h Roda de diálogo – Zona da Mata e os Desafios Para Produção Audiovisual Pousada Atapuz
13h30 às 17h Bate-papo com Anna Andrade – Distribuição de curtas-metragens
19h Sessão especial – Filmes made in Mata Norte + Sessão MAPE
20h Sessão especial – Pesado: Que Som É Esse que Vem de Pernambuco
22h Discotecagem com Clássicos dos Clássicos
14de JAN 14h as 16h Debate: Mulheres no audiovisual: reconstrução do saber

Roda de diálogo

Zona da Mata e os Desafios Para Produção Audiovisual


Um dos momentos mais importantes promovido em todas edições da Mostra Canavial de Cinema é a interação entre os diversos agentes da cadeia produtiva do audiovisual da Zona da Mata Norte de Pernambuco.
Durante a “Roda de diálogo – Zona da Mata e os Desafios Para Produção Audiovisual” é possível analisar de forma mais ampla as estratégias empreendidas ao longo dos anos e planejar os próximos passos estruturadores para que a produção audiovisual local ganhe volume e qualidade.

Bate-papo

Anna Andrade – Distribuição de curtas-metragens


Quando o Autor deve ser também o distribuidor? E como fazer isso? Para problematizar estas e outras questões vamos conversar com Anna Andrade.
Produtora cultural e realizadora audiovisual, é graduada em produção cultural e pós-graduada em gestão de projetos. Atua nas áreas de música e literatura desde 2009 e desde 2014 trabalha no audiovisual, na produção e produção executiva de curtas e longas-metragens, tradução e legendagem, distribuição e elaboração de projetos, além de atividades de formação e participação em coletivos e entidades locais que lutam por melhorias no audiovisual, como ABD-PE/Apeci – Associação Brasileira de Documentaristas de Pernambuco / Associação Pernambucana de Cineastas. Atualmente faz a direção de produção do projeto Cartas ao Mundão – Oficina de filme-carta para adolescentes sob Medidas Socioeducativas e está finalizando seu primeiro curta metragem, “Entremarés”.

Sessão Especial – Filmes made in Mata Norte

A produção de audiovisual tem crescido na Zona da Mata de Pernambuco, sejam em conteúdo pensados para internet, vídeos institucionais ou cinema. No cinema o curta-metragem tem sido o formato mais buscado pelos realizadores como expressão, seja as produções realizadas com recursos próprios ou com incentivo de editais públicos.
A sessão especial “Made in Mata Norte” apresenta um recorte das últimas produções com “DNA” genuino da Zona da Mata Norte de Pernambuco.

GEISIELY COM Y
13` | COR | 2017 | PE | Ficção

Sinopse:

Baseado no conto homônimo da escritora da Zona da Mata Norte pernambucana, Ezter Liu, o filme Geisiely com Y conta a trajetória de uma mulher agredida física e psicologicamente através da ótica da policial que faz seu atendimento na delegacia, numa madruga como outra qualquer. Geisiely, como tantas outras, é uma mulher que procura, no fundo dos fatos, alguma dignidade, a dignidade humana. Venha conhecer um pouco da realidade dessa mulher que se apega a grafia do seu nome, “Geisiely com Y”, numa maneira de, quem sabe, preservar a sua identidade de mulher em uma sociedade tão machista. Segundo filme da cineasta carpinense, Mery Lemos, diretora do já premiado “Painho e o Trem”.

  • Direção: Mery Lemos |
  • Assistência de direção: Renatto Mendonça |
  • Dir. de Fotografia/câmera: Ernesto Rodrigues |
  • 1º Assist. de Fotografia/câmera: Vidal Sousa |
  • 2º Assist. de Fotografia/câmera: Lorieli Queiroz |
  • Produção/montagem: Ilton Ferreira |
  • Trilha Sonora Original: Juliano Holanda e Paulo Rafael |
  • Finalização de som: Nicolau Domingues |
  • Mixagem da trilha: Alison Santos |
  • Direção de Arte: Surama Negromonte |
  • Figurino: Thalita Peixe |
  • Maquiagem: Kleber Camelo |
  • Prep. de Elenco: Beto Dias |
  • Direção de Som: Vilmar Gomes |
  • Assist. de Som: andson Souza |
  • Finalização de imagem: Pablo Nóbrega e Gabriel Çarunga |
  • Coordenação pedagógica: Caio Dornelas |
AVESSO REVERSO
13` | COR | 2017 | PE | Ficção

Sinopse:

Avesso Reverso conta a história de Bento (Raphael Bernado), um jovem cujo cotidiano é marcado por experiências de vigilância familiar e repressão ao assumir um comportamento tido como “suspeito”. O filme aborda a temática da diversidade pela ótica da alteridade, problematizando o que existe de natural quando o assunto é sexualidade.

  • Direção e Roteiro Original: Daivy Santos |
  • Assistente de Direção, Roteiro e Assistente de Colorista: Tayná Nunes |
  • Assistente de Direção e Roteiro: Claudia Oliveira |
  • Produção: Hevelyne Figueirêdo |
  • Direção de Fotografia: André Pina |
  • Assistente de fotografia / Foquista e operador: Cleyton Melo |
  • Assistente de fotografia / Operadora, Still/Colorista: Emanuelly Leite |
  • Assistente de fotografia/Operador/Making off: Marcus Vinicius |
  • Iluminação: Flávio Juba e Odilon Lima |
  • Direção de arte / Maquiagem: Kleber Camelo |
  • Figurino: Carlos Cavalcanti |
  • Assistente de figurino: Marta Mel |
  • Designer / Finalização: Raphael Urbano |
  • Som Direto: Jandson Roberto e Alison Santos |
  • Assistente de Som: Marco Aurélio |
  • Preparador de Elenco: Durval Cristovão |
  • Casting:Betthu Dias |
  • Trilha Sonora: Juliano Holanda |

Sessão Especial – MAPE

MAYARA ESTÁ BEM
8`| Cor | PE | 2017 | Documentário

Sinopse:

Através de narrativas o vídeo documentário Mayra está bem, sobre a solidão da mulher negra, apresenta experiências de mulheres que resolveram militar pela sua independência e contra o cruel cotidiano social imposto pelo racismo e pelas discriminações, mas que têm em comum o fato de não ter parceiros afetivos fixos. São depoimentos carregados de sentimentos causados pela exclusão e pelo preconceito

  • Direção: Juliana Lima |
  • Fotografia: Camila Valença |
  • Som direto: Cecília Araújo Montagem |
  • Finalização de Som: Catarina Apolônio |
  • Produção: Mulheres no Audiovisual Pernambuco (MAPE) |
MUNDO REAL, UTOPIA BRASILEIRA
2,5`| Cor | PE | 2018 | Documentário

Sinopse:

O aborto é uma questão de saúde pública.

  • Roteiro e Direção: Coletiva |
  • Atriz: Cíntia Lima |
  • Câmera: Nathália Gomes |
  • Edição: Tábata de Morais |

Sessão Especial

PESADO – QUE SOM É ESSE QUE VEM DE PERNAMBUCO
100`| 2017 | COR | PE | Documentário

Sinopse:

Num Estado marcado pela diversidade cultural, os metaleiros de Pernambuco criam estratégias de convivência com outros estilos musicais há mais de três décadas. Enquanto uns querem distância do forró, do frevo e do manguebeat, outros não negam a influência do ambiente multicultural em sua sonoridade, sem deixar de lado a agressividade peculiar ao metal como é conhecido no mundo todo.

  • Direção: Leo Crivellare |
  • Roteiro, Argumento e Entrevistas: Wilfred Gadêlha |
  • Produção: Luiz Barbosa e Carol Ferreira |
  • Montagem, Cor E Finalização: André Farkatt |
  • Direção de Fotografia e Câmera: Mariano Maestre |
  • Som Direto: Pedro Moreira e Lucas Ramalho |
  • Direção de Produção: Luiz Barbosa |
  • Edição de Som e Mixagem: Gera Vieira |
  • Produção Executiva: Carol Ferreira |

Discotecagem

Clássico dos Clássicos


Já famosa, a dupla que têm tocado o terror com seus vinis em brasas nas melhores festas da Zona da Mata de Pernambuco vai marcar presença para animar a noite do dia 13/janeiro, na Pousada Atapuz, como parte da programação 7º Encontro APL em Audiovisual da Zona da Mata.
Prepaga a malemolência para balanças com o repertório incrível e 100% vinil e alto astral da dupla de DJ Clássico dos Clássicos!

Debate

“Mulheres no Audiovisual: Reconstrução do Saber”


Fundado em 2016, o Mulheres no Audiovisual PE se coloca como movimento político diante do golpe de Estado e do patriarcado. Sempre objetivando fortalecer os debates no que concerne ao estado democrático de direito, ao feminismo e ao direito a respeito da mulher trabalhadora no audiovisual, realizamos nossas ações por meio de debates e vídeos, veiculados em nossa fanpage, faculdades, cineclubes, mostras e festivais de cinema. Entendemos a força do audiovisual como maior potência propagandística de ideias e valores e através de um entendimento de sua linguagem, instrumentalizamos como veículo de luta feminista, antirracista, antifascista e anticapitalista.