Mostra Canavial: balanço e projeções para 2015

Por Enock Carvalho

No último domingo (23), a Mostra Canavial de Cinema encerrou as atividades de 2014. A sessão no Assentamento Camarazal, em Nazaré da Mata, fechou um ciclo que passou por oito cidades da região da Zona da Mata Norte, levando filmes, debates, oficinas e seminários para diferentes públicos.

Caio Dornelas, idealizador do projeto, viu como diferencial as oficinas, que tiveram um papel importante esse ano. “Começamos no ano passado, de maneira tímida. Esse ano oferecemos seis oficinas, com maior quantidade de público atingido”, conta.

Ao comparar a quarta edição com as demais, Caio constatou que sempre é uma experiência diferente e única. “Outra percepção é que a Mostra, da forma que ela está estabelecida, é muito dinâmica. Por mais que você ache que já tenha feito algo parecido no ano passado, sempre surge algo inesperado. Estamos na rua, então da rua pode vir tudo”, diz.

FOTO (14)
Debates após as sessões resgatam espírito cineclubista do evento

Entre os pontos positivos, Caio relembra a sessão de sábado (22) no Assentamento Camarazal. “Este é o segundo ano em que estamos lá. Existe um alinhamento do conceito político, artístico e ideológico da Mostra Canavial de Cinema com o Assentamento Pedro Inácio, o Camarazal. Eles proporcionam um crescimento para o projeto. É muito bom prestar atenção nesse público, porque tem sido uma experiência diferente”, justificou.

Um ponto negativo também foi destacado: o mau uso do centenário Cine-teatro Polytheama, em Goiana. “O único cinema que restou em Goiana está sucateado. Tanto no uso, quanto na estrutura. Fizemos um esforço de estar nesse espaço durante um domingo inteiro e percebemos que a população não ocupa de verdade esse espaço, que está de costas para a cidade”, denuncia Caio.

Para o idealizador, o projeto se insere em um contexto mais amplo, de atrair o audiovisual para a Zona da Mata através de diversos dispositivos. Os seminários realizados no último fim de semana são uma ferramenta para aproximar realizadores. “A Mostra Canavial está num contexto mais amplo, que em médio prazo quer estabelecer um arranjo produtivo local do audiovisual. Queremos não só cineclube e mostras, mas também produção audiovisual, e o encontro serve para catalizar esse contexto”, diz Caio.

Pensando no futuro da Mostra Canavial, Caio vislumbra um possível tema para o próximo ano: o meio-ambiente. “Tenho pensado sobre isso. Desde a segunda edição estabelecemos um tema para orientar a identidade visual, a curadoria e os debates. Penso que o próximo poderia ser o Meio Ambiente, por exemplo, olhar para a poluição que a exploração da cana-de-açúcar causa”, diz Caio. Ainda sobre o futuro da Mostra, o idealizador demonstrou interesse em adicionar uma das cidades do litoral da Zona da Mata Norte ao circuito de exibições.